Zro Dúvidas

Respostas para as perguntas mais frequentes
Pontos 1Círculo 1Círculo 2Círculo 3Pontos 2Círculo 4Círculo 5Pontos 1Círculo 1Círculo 2Círculo 3Pontos 2Círculo 4Círculo 5Círculo 6
  • O QUE É BITCOIN?

    É um programa de computador que implementa por sobre a internet uma rede pública de registro de transações de transferência de valores em que todos os participantes são iguais e todos auditam as contas de todos os outros automaticamente, de uma forma em que é mais lucrativo colaborar com a rede do que tentar fraudá-la.

    Esses “valores” transferidos são números em uma escala arbitrária chamada “bitcoin” (com letra  minúscula). Devido ao fato de existirem milhares de estabelecimentos comerciais que aceitam bitcoins em troca por bens e serviços, e existirem dezenas de empresas que negociam bitcoins por dólares, euros, reais e várias outras moedas nacionais, o bitcoin tem sido chamado de “a moeda global da Internet”. Esse uso acabou se tornando mais famoso do que a própria rede em si.

  • POR QUE SE DIZ QUE O BITCOIN É UMA “MOEDA VIRTUAL”?

    Porque o bitcoin foi originalmente inventado para reproduzir as propriedades do dinheiro em espécie, mas sem nenhuma das desvantagens e com a conveniêcia da internet: o bitcoin é impossível de
    falsificar, você é dono e custodiante do seu próprio dinheiro, pode guardar grandes quantidades com total segurança, e pode mandá-lo para qualquer pessoa – seja ao seu lado ou do outro lado do mundo – com a mesma facilidade com que manda uma mensagem de Whatsapp.

  • POR QUE O BITCOIN É TÃO ESPECIAL?

    É uma descoberta científica e a primeira rede desse tipo na história: antes do bitcoin, acreditava-se que a única maneira de se fazer isso seria tendo um centralizador (banco, governo, etc.) que impusesse o cumprimento das regras. O bitcoin mostrou pela primeira vez que é possível ter confiança e elevados níveis de segurança sem centralização nem diferenciação entre seus participantes, conseguindo implementar na prática o sonho da contabilidade perfeita: como o sucesso das transferênias é condicionado ao sucesso da auditoria (todos os participantes auditam automática e continuamente todas as transações de todos os outros), é impossível dinheiro sumir ou ser criado sem se saber pra onde foi ou de onde veio – coisa que não se pode dizer dos demais sistemas monetários de hoje em dia.

  • QUAIS AS VANTAGENS DO BITCOIN?

    Qualquer um pode ingressar sem necessidade de cadastro, bastando ter acesso a um computador ou celular com acesso à internet; as transferências são rápidas e têm custo irrisório (até gratuitas, se você não tiver pressa) e não dependem do valor da transação em si; funciona globalmente, 24 horas por dia, sete dias por semana; o sistema é totalmente transparente — todas as transações podem ser auditadas por todos os participantes; é uma empreitada colaborativa global e distribuída — nenhuma entidade única ou país controla a rede Bitcoin (diz-se que no Bitcoin, cada participante “é seu próprio banco.”)

  • QUAIS AS DESVANTAGENS DO BITCOIN?

    Naturalmente, requer acesso a Internet e a algum tipo de computador moderno ou smartphone; ainda é pouco difundido e há relativamente poucos estabelecimentos que os aceitam diretamente; tem várias características inéditas e distintas dos sistemas monetários tradicionais que causam estranheza à primeira vista (parecido com quando a Internet era novidade e muita gente não entendia pra que ela servia.)

  • COMO GUARDAR BITCOINS SEGURAMENTE?

    Divida seus bitcoins em dois grupos: uma pequena quantidade para usar no dia a dia e o resto para guardar.

    O valor do dia a dia pode ficar em um aplicativo no celular, mas procure ter apenas o que vai precisar em breve. Assim, se você perder o celular ou ele for roubado, a inconveniência será pequena.

    Os bitcoins para guardar, deixe-os em um computador em casa ou no trabalho.

    Nos dois casos, não deixe de guardar a frase de recuperação que os aplicativos de carteira oferecem. Elas lhe permitirão recuperar os bitcoins caso os celulares ou computadores pifem, ou se forem perdidos ou roubados, se houver um incêndio, etc.

    Se você lida com valores altos, considere comprar um aparelho especializado em bitcoins, como o Trezor ou Ledger. Se você quiser ser extra-precavido, considere comprar um computador só para bitcoins e não o use para nenhuma outra finalidade.

    Combinando essas simples medidas, é possível ter um nível de segurança na guarda dos bitcoins que excede a de qualquer outro sistema.

  • COMO CONSEGUIR MAIS BITCOINS?

    Compre na nossa Bitvending! Ou inscreva-se em uma corretora como a Foxbit.

  • COMO TROCAR BITCOINS POR REAIS BRASILEIROS E VICE-VERSA?

    Venda seus bitcoins na nossa BitVending! Ou inscreva-se em uma corretora como a Foxbit.

  • QUANTO VALE UM BITCOIN?

    Em agosto de 2017, por volta de R$ 14.000,00. O valor exato depende da oferta versus demanda e da corretora utilizada.

  • É MUITO CARO! NÃO POSSO COMPRAR UM BITCOIN!

    O bitcoin é divisível em até oito casas decimais e a maioria das corretoras lhe permite comprar tão pouco quanto o equivalente a dez reais (0.00071428 bitcoins, pelo preço acima).

  • QUAL A COTAÇÃO OFICIAL DO BITCOIN?

    Não há até o momento nenhum órgão governamental que regule, acompanhe, ou garanta o valor do bitcoin em relação ao real ou nenhuma outra moeda. O que há são as cotações de cada corretora privada que intermedia a compra e venda dos bitcoins – que, na realidade, nada mais é que o preço da última negociação bem sucedida. Como cada corretora segue independente das outras, o preço entre elas difere um pouco.

  • ONDE POSSO ACOMPANHAR AS COTAÇÕES DO BITCOIN NO BRASIL?

  • POR QUE O BITCOIN TEM VALOR?

    Porque tem gente disposta a aceitá-los como pagamento por bens e serviços ou trocá-los por reais, dólares e outras moedas.

  • O QUE É UM MILIBITCOIN?

    É um milésimo de bitcoin, da mesma forma que um miligrama é um milésimo de uma grama (a unidade de massa).

  • O QUE É UM MICROBITCOIN?

    É um milionésimo de bitcoin (o sufixo “micro” significa milionésimo no Sistema Internacional de Unidades.)

  • O QUE É UM “SATOSHI”?

    É um centésimo milionésimo de bitcoin. É a menor quantidade de bitcoins possível.

  • É “O” BITCOIN OU “A” BITCOIN?

    Nunca vimos um argumento convincente a favor de um ou de outro. Preferimos “o” bitcoin.

  • QUAL O SÍMBOLO DA UNIDADE DE CONTA BITCOIN?

    Uma letra B maiúscula com duas barras, semelhante a um cifrão. A abreviatura mais popular é BTC, mas muita gente usa “XBT” para aderir ao padrão ISO 4217.

  • O QUE É A BITVENDING?

    É uma máquina automática de vendas de produtos que aceita bitcoins como pagamento. Também aceita reais, permitindo-lhe comprar bitcoins. Assim, ela atua como se fosse um “mini caixa eletrônico” ou “mini casa de câmbio”.

  • QUEM DESENVOLVEU A BITVENDING?

    Uma empresa recifense chamada CoinWISE, especializada em critpomoedas e blockchains.

  • ONDE EU ENCONTRO UMA BITVENDING?

    Abertas ao público no momento existem:

    • Em Recife: uma no Fab Lab do Shopping Paço Alfândega e outra no Restaurante Mariposa do Shopping Rio Mar.

    Outras estão sendo instaladas e estarão disponíveis em breve.

  • BITCOIN É UM ESQUEMA DE PIRÂMIDE?

    Não.

  • POR QUE TANTOS DIZEM QUE BITCOIN É UM ESQUEMA DE PIRÂMIDE?

    Porque só ouviram falar de passagem e não se informaram direito.

    Talvez também porque aparece gente dizendo que teve lucros imensos com bitcoin e esse tipo de exagero é típico de piramideiro.

    Ou talvez porque existem, sim, empresas duvidosas promovendo esquemas de pirâmide que aceitam (ou requerem) pagamentos em bitcoin numa vã tentativa de se evadirem da justiça.

  • OUVI DIZER QUE BITCOINS SÃO ANÔNIMOS

    É verdade no sentido que você pode ingressar na rede apenas instalando um aplicativo e comprar/vender bitcoins em pequenas quantidades sem fazer cadastro nem dar seus dados pessoais – por exemplo, usando a nossa Bitvending. Mas isso não quer dizer que eles não sejam rastreáveis nem que a polícia não consegue identificar seus usuários se assim o quiser.

  • OUVI DIZER QUE BITCOINS SÃO IMPOSSÍVEIS DE RASTREAR

    Não é bem verdade. É possível usar bitcoins de forma a ser bem difícil de rastrear, mas isso requer uma disciplina e conhecimento técnico muito além do usuário médio. Usados corretamente, eles podem dar uma proteção anti-rastreamento maior do que as alternativas, mas as polícias e autoridades investigativas quase sempre acabam conseguindo rastrear se realmente quiserem.

  • OUVI DIZER QUE BITCOINS SÃO A MOEDA PREFERIDA DO CYBERCRIME

    Entra e sai de “moda” de tempos em tempos, à medida que diferentes grupos de criminosos “descobre” os bitcoins e as corretoras. Mas cedo ou tarde acabam sendo descobertos e eles abandonam. E o ciclo recomeça. A mesma coisa acontece com outras “formas alternativas” de dinheiro, como milhas, programas de fidelidade, etc.

  • OUVI QUE É POSSÍVEL “FABRICAR” OU “MINERAR” BITCOINS

    Sim, é verdade. Mas para ser lucrativa requer equipamento especial cujo custo mínimo é de milhares de reais. Reaproveitar computadores que já se tem para minerar bitcoins não é mais economicamente viável há alguns anos – só o custo da energia elétrica excede o valor dos bitcoins minerados.

    Se feito de forma profissinal e em grande escala, não só é viável, mas tem dado bons lucros e a rede de mineradores e de fato é a espinha dorsal do bitcoin, pois são os mineiros que auditam as transações e garantem que nenhum satoshi está fora do lugar certo. Por esse trabalho eles são recompensados com novos bitcoins.

    Mas, mesmo para os profissionais, minerar bitcoin é caro e demorado. Para a maioria das pessoas, é muito mais simples e rápido simplesmente comprá-los através de uma corretora.

  • OUVI DIZER QUE A QUANTIDADE TOTAL DE BITCOINS É LIMITADA?

    Sim. Só serão criados pouco menos de 21 milhões de bitcoins. Mais de 75% desses já foram criados. Os outros ~25% serão criados nos próximos cem anos. A cada quatro anos (aproximadamente) a velocidade de criação de novos bitcoins cai pela metade.

  • QUER DIZER QUE BITCOIN SE VALORIZA COM O TEMPO.

    Sim, se a demanda continuar aumentando, como tem acontecido até agora.

  • OUVI DIZER QUE BITCOINS SÃO MUITO VOLÁTEIS

    Variações violentas e repentinas no preço do bitcoin já aconteceram várias vezes e provavelmente continuarão acontecendo por um bom tempo.

  • QUAL O LASTRO DO BITCOIN?

    Apenas a existência de muitas pessoas dispostas a pagar por ele.

  • COMO PODE UMA MOEDA EXISTIR SEM LASTRO?

    Nenhuma moeda de país algum tem nenhum lastro além da confiança que algum determinado público ou nação a aceita como pagamento de dívidas.

  • MAS O DÓLAR NÃO É LASTREADO NO OURO?

    Não. A garantia de conversibilidade em ouro que o governo americano oferecia (informalmente chamado de “lastro”) foi extinta pelo presidente Nixon em 1971.

  • OUVI DIZER QUE BITCOINS SÃO COMO AÇÕES DA BOLSA DE VALORES

    Eles não são considerados bens mobiliários, portanto não são negociados nas bolsas de valores oficiais brasileiras. Ao invés, são negociados em corretoras privadas, que às vezes se intitulam “casas de câmbio.” Há muita gente que o usa como ativo especulativo (comprar quando o preço está baixo e vender quando está alto) e as corretoras privadas de fato se inspiram no modelo das corretoras de ações, oferecendo “livros de ofertas”, “ofertas de compra”, “ofertas de venda”, etc. Nessa modalidade, ele é considerado um ativo de alto risco e só deve ser usado por quem entende bem do mercado – não há garantia alguma de “rentabilidade”.

  • VERDADE QUE ALGUMAS PESSOAS FICARAM RICAS COM BITCOIN? COMO?

    Algumas, sim. Compraram grandes quantidades quando o bitcoin era centenas de vezes mais barato que hoje em dia.

  • VERDADE QUE ALGUNS PERDERAM FORTUNAS COM BITCOIN? COMO?

    Sim, um bocado de gente. Compraram os bitcoins e os perderam, ou se viram forçados a vender por preços menores do que quando compraram.

  • QUANDO O BITCOIN COMEÇOU?

    O primeiro nó da rede entrou no ar em 03 de janeiro de 2009. Um artigo escrito em linguagem acadêmica/científica descrevendo as ideias principais por trás do bitcoin foi publicado em 31 de outubro de 2008. Esse artigo, em inglês, pode ser encontrado aqui: https://bitcoin.org/bitcoin.pdf

    Uma tradução para a língua portuguesa pode ser encontrada aqui: https://pt.slideshare.net/rodrigohenrik/bitcoin-um-sistema-de-dinheiro-eletronico-pontoaponto

  • QUAL O TAMANHO DA REDE BITCOIN?

    Em torno de 6000 nós, distribuídos em uns 80 países.

    Na realidade, isso varia muito, porque a rede é de livre ingresso e livre saída, qualquer um com o software adequeado pode se juntar à rede quando quiser.

  • QUANTO O BITCOIN MOVIMENTA NO BRASIL E NO MUNDO?

    Em 2015, as casas de câmbio brasileiras negociaram 113 milhões de reais em bitcoins. Em 2016, foram por volta de 350 milhões e de janeiro até julho de 2017 esse valor já excedeu um bilhão de reais.

    O Japão é a maior negociante global de bitcoins e as casas de câmbio lá giram entre 20 a 200 milhões de dólares por dia.

    A capitalização de mercado do Bitcoin no mundo inteiro (total de bitcoins em existência vezes seu preço médio) estava por volta de 70 bilhões de dólares em agosto de 2017.

    A capitalização de mercado de todas as criptomoedas, incluindo o bitcoin, girava em torno de 140 bilhões de dólares em agosto de 2017.

  • QUANTAS/QUAIS CORRETORAS DE BITCOINS TEMOS NO BRASIL?

    Foxbit, FlowBTC, MercadoBitcoin, Bitcointoyou, CoinBR, NegocieCoins, Bitcambio, ArenaBitcoin, Walltime.

  • CITE ALGUMAS CORRETORAS FORA DO BRASIL

    CoinBase, Bitstamp, Kraken, QuadrigaCX, Poloniex, Bittrex, Coinfloor, Huobi, Bitflyer, ViaBTC, Bitfinex, OKCoin, BTCChina, Shapeshift, BitcoinSuisse, Changelly, CEX.IO.

  • É PRECISO DECLARAR BITCOINS NO IMPOSTO DE RENDA?

    Sim. A Receita Federal diz que eles são tratados como bens e o valor de compra deles deve ser incluído no campo “Outros bens e direitos.” Em caso de venda, incidirá imposto sobre ganho de capital.

    Sugerimos entrar em contato com seu contador ou advogado tributarista para maiores detalhes.

  • QUAL A REGULAÇÃO APLICÁVEL AO BITCOIN NO BRASIL?

    Exceto a orientação da Receita Federal mencionada na pergunta anterior, não há, até onde sabemos, legislação específica sobre criptomoedas no Brasil. Há apenas o princípio geral do direito privado que “tudo que não é explicitamente proibido é permitido.” Os bitcoins e criptomoedas em geral são considerados bens não mobiliários e não estão sujeitos às regras da CVM.

  • QUAL A DIFERENÇA ENTRE BITCOINS E MILHAS, PONTOS DE FIDELIDADE, ETC?

    Eles podem parecer semelhantes à primeira vista, mas na verdade são muito diferentes.

    Pontos de fidelidade, milhagem, etc, são bancados por uma empresa ou instituição centralizada que as emite e controla sua distribuição entre seus clientes, afiliados e parceiros, só sendo aceita entre eles. A instituição tem controle absoluto sobre seu saldo, manipula o preço dos produtos que se pode comprar com eles para incentivar o consumo como quiser, pode confiscar ou revogar a participação de qualquer integrante quando quiser, além de que os pontos ou milhas expiram.

    O bitcoin, ao invés, não tem um dono único: é uma rede aberta, colaborativa e global de adesão inteiramente voluntária englobando usuários, empresas e diversos tipos de instituições. Os bitcoins não podem ser confiscados se você tiver controle deles, nem expiram, e têm contabilidade perfeita, pois os todos os computadores integrantes da rede auditam as contas de todos os outros. O preço/valor dele em relação às moedas convencionais é ditado exclusivamente pela oferta e demanda nas corretoras que os negociam.

  • POR QUE TEM GENTE DIZENDO QUE O BITCOIN PODE EXTINGUIR OS BANCOS?

    O bitcoin permite enviar dinheiro de uma pessoa para a outra com a mesma facilidade com que se envia uma mensagem de Whattsapp. Há quem diga que isso torna desnecessária algumas das funções dos bancos tradicionais. Todavia, os bancos cumprem muitas outras funções além desta, por isso é difícil imaginar um futuro sem eles.

  • QUANTO VOCÊS PAGAM DE COMISSÃO AO BITCOIN?

    Não é assim que funciona. O bitcoin não é uma empresa do qual somos subsidiárias ou ao qual somos afiliados. Ele é aberto, global, público e sem dono tal como a internet.

  • QUEM DESENVOLVE O SOFTWARE “BITCOIN”?

    Uma rede global de voluntários.

  • QUEM OPERA A REDE BITCOIN?

    Uma rede global de voluntários, dos quais “os mineiros” são os mais preeminentes.

  • QUEM OU O QUE GARANTE O VALOR DO BITCOIN?

    Nada nem ninguém além do mercado.

  • POR QUE O BITCOIN TEM APRECIADO TANTO DE PREÇO?

    Oferta fixa e demanda crescente.

  • É POSSÍVEL QUE O PREÇO DO BITCOIN CAIA PARA ZERO?

    Em princípio nada impede, embora, até onde a vista alcança, consideremos extremamente improvável.

  • O QUE É A TAXA DO MINERADOR?

    Uma gorjeta que é recebida pelos mineradores que mantêm a rede bitcoin funcionando e auditam-lhe as transações, originalmente criada para coibir spam e abusos na rede. Estritamente falando, é opcional, e é possível ter transações confirmadas na rede gratuitamente quando há capacidade ociosa. A gorjeta também é usada para priorizar as transações: as que deixam mais gorjeta são processadas primeiro.

  • POR QUE A TAXA DO MINERADOR ANDA TÃO ALTA?

    Duas razões: primeiro, porque a rede bitcoin tem estado congestionada devido ao recente aumento na adoção e uso. Segundo, porque os aplicativos de carteira tentam criar a ilusão de que as transações bitcoin são instantâneas, e tentam forçar que a transação seja confirmada o mais rápido possível; por isso, tentam pagar mais que a média de todos os demais.

  • O QUE É UMA CONFIRMAÇÃO?

    A função da rede bitcoin é divulgar lotes de transações que os participantes consideram válidas. Quando uma transação foi enviada para a rede mas ainda não foi incluída em um lote, diz-se que ela está “pendente de confirmação.” Quando uma transação é incluída em um bloco pela primeira vez, dizse que ela recebeu a “primeira confirmação” ou “tem uma confirmação.” Cada novo bloco emitido na rede age como “segunda confirmação”, “terceira confirmação”, etc.

  • QUER DIZER QUE UMA TRANSAÇÃO CONFIRMADA TEVE O AVAL DE SEIS MINEIROS?

    Não necessariamente. Nada impede que o mesmo mineiro feche dois ou mais blocos consecutivos.

  • O QUE É ESSE TAL DE “BLOCKCHAIN”?

    Originalmente, o termo se referia ao histórico de transações do bitcoin, que é construído colaborativamente pela rede global de auditores (apelidados de “mineradores” porque eles são recompensados com novas unidades de bitcoin pelo serviço de auditoria que eles prestam à rede). Esse histórico é dividido em “lotes” ou “blocos” (daí o termo “block” em inglês) que são como se fossem as “páginas” de um livro contábil. Cada página tem uma espécie de “dígitos verificadores” que tornam fácil detectar adulterações e, como também incorporam os dígitos verificadores da página anterior, criam um “elo” ou “cadeia” (daí a expressão “chain” em inglês) que permite ter certeza de que todas as páginas do livro contábil não foram adulteradas. Assim, qualquer participante do sistema pode conferir todas as contas e se convencer de que o histórico está íntegro e que não houve fraudes ou falsificações.

    O termo “blockchain” foi posteriormente apropriado pelo “marketing” de várias empresas promovendo soluções baseadas em blockchain e tem sido usado como “qualquer solução vagamente inspirada no bitcoin”, ou “a tecnologia subjacente ao bitcoin.”

  • O QUE É O “BITCOIN CASH” (BCH)?

    Uma variante independente do bitcoin criada em 1o de agosto de 2017 a partir do bitcoin original para ter 8 vezes mais capacidade de processamento de transações que a rede bitcoin original (o que contribui para que sature muito mais raramente e por isso tenha taxas de mineiro muito mais baixas.) Tem sido cada vez mais considerado “o sucessor do bitcoin” e alguns o consideram “o verdadeiro bitcoin.”

  • OUVI DIZER QUE EXISTEM VÁRIAS OUTRAS CRIPTOMOEDAS ALÉM DO BITCOIN

    Sim, centenas delas. A maioria delas são imitações ou clones que pouco ou nada agregam e cuja expressividade de mercado é negligível. Algumas poucas, como Ethereum, Litecoin, Dash, Monero, ZCash, oferecem recursos inovadores que as fazem ter adoção expressiva mas ainda menor que a do bitcoin.

  • QUEM É A COINWISE?

    É uma empresa pernambucana especializada em criptomoedas e blockchains.

  • ONDE POSSO APRENDER MAIS SOBRE CRIPTMOEDAS E BLOCKCHAINS?

  • O que é a taxa do mineiro e como ela se aplica?

    Cada vez que um cliente final de determinado estabelecimento realiza uma compra, é aplicada a taxa do mineiro. Essa taxa, que independe da Zro Pay, é cobrada pela rede blockchain. A grande maioria dos usuários de criptomoedas já tem ciência de que todos os pagamentos efetuados já incluem esse valor adicional, que é calculado automaticamente por suas carteiras.

    Obs: O valor da taxa não é fixo. Ele depende do congestionamento da rede e varia de moeda pra moeda.